Ir para conteúdo

5 coisas que aprendi com o Biofeedback

Oi gente!

Para aqueles que me acompanham no Blog e no Instagram, já devem ter percebido que, desde que eu comecei o treinamento de Biofeedback com o psicólogo Pedro da Totum, dr03mudei o meu modo de agir e de ver o mundo. O treinamento veio para mexer com uma parte que precisava ser trabalhada dentro de mim, como a minha ansiedade e agitação constante. Ao longo desse período de treinamento, tenho aprendido tantas coisas que decidi compartilhar algumas delas.

  • Consciência corporal

Além de aprender sobre a importância da respiração, que é o que me faz ficar no presente, também aprendi a me concentrar naquilo que estou fazendo. Quando estou
com a minha mente no presente, crio uma consciência do meu próprio corpo e de tudo que está ao meu redor. Com essa melhora da consciência corporal, minha postura melhorou. Ao invés de ficar com os ombros erguidos, como se estivesse em uma situação de estresse constante, consigo respirar, relaxar e coloca-los para baixo. Afinal, postura é

1200x630bb
App Biobelly

tudo nessa vida.

  • Ficar calmo é fácil, difícil é se manter calmo.

Quando estamos treinando no consultório, tudo fica mais fácil. Não temos tantas distrações e conseguimos nos concentrar em uma coisa só. Porém, o verdadeiro desafio começa quando colocamos o pé fora do consultório e tentamos aplicar tudo aquilo que aprendemos ou, deveríamos ter aprendido, durante a sessão. Pedro me recomendou utilizar o aplicativo Biobelly para manter o treinamento nos dias que não tenho consulta ou quando estiver viajando. Confesso que treinar sozinha é um grande desafio, mas a recompensa é maior ainda.

  • Um tempo para si é importante.

Eu sei que falar é fácil, mas tirar um tempo para si é muito importante. Sou ligada nos 440V e não paro um segundo e, muitas vezes, esse meu excesso de agitação causa uma sobrecarregada física e mental tão grande, que dá tilt. É como se “tico e teco” parassem de funcionar e o corpo falasse: “Tempo! Preciso descsansar!”. Com o Biofeedback, aprendi que excesso de agitação é contraproducente, e que preciso dedicar um momento Mais-tempo-1só para mim e para meus pensamentos. De preferência, pensar uma coisa por vez, pois o mundo lá fora pode esperar.

  • Fazer uma coisa de cada vez.

Se pensar uma coisa por vez já é difícil, imagine fazer! Não vale a pena querer fazer varias coisas de um só vez. Sempre acabo que me enrolando, me frustrando e sem conseguir resolver nada. O Biofeedback me ajudou a perceber os momentos que estou para ficar sobrecarregada e a gerenciar tudo isso. Calma, respira e não pira. Com a cabeça em ordem, consigo fazer as coisas mais rápido e bem feitas. É tudo uma questão de administrar o seu estresse e o seu tempo.

  • Para evoluir é preciso sair da zona de conforto.

shutterstock_186731432_miniPedro me explicou que essa agitação toda é o meu berço, ou seja, aonde me sinto confortável. Serei assim pelo resto da vida, e por incrível que pareça, quando me sinto
“perdida”, procuro a agitação ao invés da calma. Porém, sempre acreditei que viemos ao mundo para evoluir e, através do treinamento do Biofeedback, tenho aprendido a encontrar um equilíbrio e a quebrar esse hábito. Mudar não é fácil, e a vontade de querer ser perfeita me tenta a querer virar Buda, o que também não dá certo. Além de utilizar o app Biobelly, hoje faço jiu-jitsu, pelo menos, quatro vezes por semana para gerenciar o meu estresse, e procuro meditar sempre.

 

O grande segredo é aceitar que sou agitada, dói menos, e ajuda na evolução. E se mudar é difícil, aceitar é pior ainda!

img_0793

 

 

 

 

 

Nika

2 comentários em “5 coisas que aprendi com o Biofeedback Deixe um comentário

Deixe uma resposta

pt_BRPortuguês do Brasil
en_USEnglish fr_CAFrançais du Canada es_ESEspañol pt_BRPortuguês do Brasil
%d blogueiros gostam disto: