Ir para conteúdo

Liberação Miofascial para todos

Depois de alguns meses, voltamos a falar sobre a liberação miofascial (LM). Como escrevi no post anterior, a liberação miofascial tem me ajudado em muitos aspectos, tanto no alivio das dores quanto na minha performance dentro de quadra e do tatame. Mas hoje não vou falar nem de mim nem dos benefícios da LM para os atletas. Hoje, eu quero falar sobre a LM para as pessoas “normais”, aquelas que vão para o escritório e que trabalham 8 as 18h de segunda a sexta e para a galera da melhor idade que, assim como meu pai, buscam qualidade de vida.

Quando o papito chegou na Gaff, ele estava cheio de dores. Aquela velha “dor de junta”, junta tudo e joga fora. Ele vivia com muitas dores e estava sempre muito mal humorado. Afinal, quem vive com dor dificilmente tem um bom humor. Só para dar um bisu, Papi Soberano estava com dores na coluna, no quadril e no joelho. Somente depois de ter uma conversa esclarecedora sobre a LM para pessoas como o meu pai com o Rafic Haddad Jr, professor do estúdio da Gaff , foi que resolvi levar papito para conhecer o estúdio Gaff.

 

17d229bd330a05b39c5f5c00ae4bb2a3_XL
Professor Rafic Haddad

O Rafic entende muito sobre LM. Ele explicou que o papito tinha muita tensão na lombar e um desgaste natural no quadril. O desgaste faz com que o organismo dele entenda que tem algo naquela região que precisa ser defendido, fazendo com que  o músculo se contraia. Com o músculo contraído, ele sente o peso na lombar e sente dor, porém, não consegue identificar o ponto. Como não há um ponto especifico da dor, ele não tem trigger point (ponto de tensão). Conclusão, ao invés de sentir em um ponto, ele sente a musculatura toda.

 

Pare quem não lembra, a liberação miofascial é uma “massagem”  para soltar e liberar aquele sistema que está comprometido. Eles também são chamados de pontos gatilhos ou trigger points. São pontos específicos de tensão muscular. Esses pontos ou nódulos são um acúmulo de tensão tão grande que não passa mais fluidez por aquele local, isto é, não
circula sangue direito.

 

IMG_0055
Professor Rui fazendo liberação miosfacial no meu pai

Com tanta coisa acontecendo no corpo dele, vocês devem pensar que ele não deveria andar direito. Pensaram certo. O papito, estava andando todo empenado, e nem conseguia andar mais que 10 min. Hoje, depois de quase sete meses de treinos e de  algumas sessões de liberação miofascial, ele já esta andando todo ereto e segue sem aquelas dores que ele sentia, sem falar na mudança do humor do meu papito. Obrigada Rafic e a todos os professores da Gaff por cuidarem tão bem do meu velhinho.

 

O Rafic também mencionou que pessoas que ficam sentadas durante muito tempo, sentem dores que as vezes nem sabem explicar da onde vem. Ele me explicou que a  liberação miofascial também pode ajudar e muito! Afinal, a LM vai liberar todos aqueles pontos que você tem. Pode ser na coluna, no joelho, no ombro e por aí vai. Portanto, se você fica sentado na frente de um computador o dia inteiro e está cheio de dor e não sabe o que foi, a liberação pode ser algo bem bacana para você.

É importante lembrar que LM dói, é chata e nem todo mundo está afim de sofrer. Existem graus de dor e de tolerância, mas é importante que o profissional saiba explicar o por quê.  No dia você vai sentir dor muscular pela manipulação que foi feita naquela musculatura. A dor é muscular, não é a dor que lhe incomodava antes da LM.

Outra beneficio da LM é que ela poder ser a solução das suas dores que você “acha” que é caso de cirurgia. O Rafic explicou que a LM pode ajudar a sair da mesa cirúrgica. Muitas vezes achamos que o nosso problema é cirúrgico mas, muitas vezes, a liberação miofascial, aliada a uma análise do porque a pessoa está sentindo aquela dor e com um treino direcionado para o fortalecimento daquele sistema muscular, tira a possibilidade da cirurgia. Por isso, se você está sentindo dores que acham que a solução para as dores é a cirurgia, a liberação pode ajudar e muito!

IMG_9762Qualquer pessoa pode usufruir desse bem, desde que seja com um profissional capacitado, como os professores dos Estudios Gaff. É importante lembrar que cada caso é um caso. E que cirurgia é a última opção, somente quando não tem mais jeito. Fique ligado! Procure entender por que você vai fazer e verificar com quem você vai fazer. Eu recomendo o pessoal da Gaff. Eles são sensacionais!

E como vocês podem ver na foto, o papito não está mais tortinho. Depois de alguns meses treinando na Gaff, ele ficou mais forte, e está sem dores! Obrigada professores da Gaff  por cuidarem tão bem do meu pai. É muito bom poder ver o meu pai brincalhão e sem dores. Mais uma vez, muito obrigada!!

 

Deixe uma resposta

pt_BRPortuguês do Brasil
en_USEnglish fr_CAFrançais du Canada es_ESEspañol pt_BRPortuguês do Brasil
%d blogueiros gostam disto: