Ir para conteúdo

Agora eu quero ir…

Há dois anos atrás tudo conspirou para que eu voltasse ao Brasil. Depois de uma longa estadia na terra do Tio Sam, decidi que estava na hora de voltar para casa. Voltei sem saber quem eu era, o que eu queria e muito menos para onde eu ia. Estava muito perdida e precisava me reencontrar, precisava saber quem eu era e queria fazer isso antes de qualquer coisa. Tirei um tempo para cuidar das minhas “feridas”.

A caminhada para esse auto conhecimento não foi tão fácil quanto vocês imaginam. Teve muito choro mas também muitos abraços e muitas risadas. Conheci pessoas incríveis que ajudaram a me redescobri e a me reencontrar. Descobri que sou pistache, que sou diferente e que está tudo bem em ser diferente. Descobri que não precisava escolher entre ser uma coisa ou outra, só ter equilíbrio entre elas. Afinal, não somos obrigados a seguir padrões que não foram feitos para nós.

Redescobri amores como o vôlei e o pole dance. Fiz as pazes com o vôlei, esporte que sempre abriu e ainda abre portas para mim. Voltei para o pole, esporte que mostra meu lado mais feminino, sensual e, às vezes, mais delicado. Mas de todas as minhas descobertas e encontros no esporte, a maior delas foi o jiu-jitsu. Ou melhor, o encontro  da minha família Jiu Jitsu. O BJJ é o ponto de equilíbrio que estava faltando na minha vida desportiva. No tatame, eu descarrego todas as minhas frustrações, minha energia, minha agressividade. Com os meus “meninos”, aprendi a ser mais paciente e a ter mais calma. Afinal, o jiu é um jogo de xadrez, não adianta afobar. Aprendi que, às vezes, é preciso dar um passo para trás para poder ir para frente.

E, se a descoberta pessoal e profissional não fosse suficiente, me descobri espiritualmente. Durante esse tempo no Brasil decidi, também, focar no meu lado espiritual. Nunca pensei que a espiritualidade fizesse tanta diferença na vida de alguém, até que foi a minha vez de vivenciar isso. Aprendi que o tempo de Deus é perfeito e, muitas vezes, precisamos fechar os olhos e confiar que vai dar tudo certo. Quando é para acontecer, vai acontecer, muitas vezes, não é na hora que queremos  mas será na hora certa, na hora que estivermos preparados para receber a benção que tanto pedimos. E hoje posso falar: encontrei o meu recanto espiritual. Descobri o lugar que posso me desconectar do mundo e me conectar com papai do céu. Encontrei a minha paz.

Ainda tenho MUITO que aprender e mal posso esperar as próximas etapas dessa jornada. Descobri que sou maravilhosa do jeito que sou. ME amo e desejo que todos possam vivenciar isso. Desejo que todos possam sentir essa felicidade que é se amar. Me descobrir pistache foi uma grande conquista e me redescobrir sereia foi essencial. Sereias não ficam paradas, elas estão sempre em movimento. E eu amo estar em movimento. Adoro viajar, descobrir novos lugares. Amo desafios e, depois de tanto tempo me cuidando, está na hora de voltar para o meu lugar: o mar (mundo).

As feridas estão curadas e estou muito mais forte de quando cheguei. Estou iniciando uma nova aventura. Vou cair algumas vezes? Vou! Talvez chore? Talvez. Mas vou realizar mais um sonho. Vou aprender um novo idioma, conhecer nova cultura e vivenciar novas aventuras. E mais uma vez o esporte está me levando para um novo país. Meu destino é o Canadá. Não sei como vai ser, só sinto que será incrível. Estou viajando com o coração tranquilo. E se algum dia precisar, sei que posso voltar.

Nos vemos em Quebec!

3 comentários em “Agora eu quero ir… Deixe um comentário

    • Que bom! Fico feliz que tenha gostado do texto e do meu filhote. Sinta-se a vontade em visita-lo quantas vezes quiser. E tambem esta convidada a compartilhar suas reflexões e idéias que cada texto te proporciona. 😉

Deixe uma resposta

pt_BRPortuguês do Brasil
en_USEnglish fr_CAFrançais du Canada es_ESEspañol pt_BRPortuguês do Brasil
%d blogueiros gostam disto: