Ir para conteúdo

Precisamos conversar…

Eis que estamos em setembro, mês que traz a primavera, estação onde tudo floresce e se enche de cor. E, talvez por ironia do destino, em setembro também falamos sobre depressāo, doença cheia de tons cinzas e, às vezes, de tons pretos. Mas ao invés de chamarmos de “setembro cinza”, chamamos de setembro amarelo, o mês de conscientização da depressão e prevenção ao suicídio.

Ao longo desse mês, vi muitas pessoas publicando banners sobre os sinais de pessoas com depressão. Vi muitas pessoas incentivando a empatia e que devemos aprender a escutar o que o outro tem a dizer. Apesar de tudo isso ser lindo e muito bacana, será que todas essas pessoas estão praticando o que postam? Ou estão apenas postando por que é o “certo” a se fazer e é legal?

Não vi ninguém falar sobre o assunto. Normal! Já é difícil falar sobre nossos sentimentos para aqueles que conhecemos e conversamos diariamente, imagina falar sobre isso abertamente na internet? Afinal, na internet todos são felizes e lindos. Por que vou tirar a minha mascara de felicidade e mostrar o meu lado triste ou revoltado? Ninguém quer saber de tristeza. Por esses e outros motivos, hoje vou compartilhar um pouquinho da minha experiência com a depressão e a ansiedade.

Algumas pessoas sabem, outras não, mas eu tive depressão. Cheguei em um estágio crítico e, ao ver o ponto que havia chegado, decidi procurar ajuda. Na época eu morava nos EUA, morava sozinha e tudo mais. Decidi procurar uma psicóloga e ela me encaminhou para uma psiquiatra. Apesar de relutar muito, precisei tomar remédio. Tudo bem. Foi importante pra mim e já passou! Agora está tudo certo.

Foi um processo demorado? Foi! Chorei? E como chorei… Porém, eu cresci e aprendi muito durante todo o meu tratamento. Confesso que no inicio não foi fácil abrir a “caixa de pandora”, me sentia insegura de expor meus sentimentos e pensamentos. Tinha uma certa “vergonha” de estar passando por tudo aquilo e, ao mesmo tempo, me sentia frustrada por não conseguir dar conta sózinha. Se você passa ou passou por algo semelhante, toca aqui! Você não está sozinho nessa! Ainda bem que essa sensação também passa e, no final,  consegui tirar todo aquele “peso” de dentro da minha cabeça, do meu coração e da minha alma.

Nós que tivemos ou temos depressão, sabemos disfarçar muito bem as nossas emoções. Às vezes, até bem demais… Muitas vezes falamos que estamos cansados, com sono, com preguiça, ou até “eu sou assim”. Outras vezes, nos mostramos felizes, brincalhões e super animados. Aprendemos a usar uma máscara de acordo com a situação. E assim vamos escondendo e reprimindo nossas emoções. Tem gente que para de comer ou come demais. Tem gente que bebe demais ou começa a usar outras drogas. Graças a Deus eu só fiquei na comida mesmo. Às vezes não queria comer e quando comia era sempre uma besteira ou algo qualquer. Nossas escolhas de válvulas de escape não são as mais saudáveis. Mas fazer o que? Como diria minha mãe, acontece nas melhores famílias de Londres.

No meu caso, eu trabalhava com adolescentes e crianças. Então, quando estava na frente dos meus alunos ou atletas, sempre comia algo “saudável” e no resto dia deixava de comer ou simplesmente comia qualquer coisa. Eu gostava muito de Taco Bells. Queria ser um bom exemplo para eles mas vivia um conflito interno muito grande. Foram inúmeras as vezes que eu chegava no trabalho em prantos sabe lá Deus por que motivo. Mas ao sair do carro, estava pronta, linda e com um sorrisão no rosto. Depressão tem dessas coisas, às vezes bate uma tristeza sem fim que a gente não sabe da onde sai. Eu lembro que não queria mais viver por que não queria mais sentir aquela dor e aquela tristeza. Novamente… ainda bem que tudo passa não é mesmo?

Já faz um pouco mais de um ano que recebi alta. E, graças ao incentivo da minha psicóloga e de muitas outras pessoas, resolvi começar a falar mais abertamente sobre essa minha experiência e sobre esse assunto. Não sou psicóloga nem psiquiatra nem  nenhuma expert no assunto. Porém, acho importante que conversemos mais livremente sobre ansiedade e depressão. Afinal, elas não são bichos de sete cabeças. Quero, também, que todo mundo que já passou ou que ainda passa por isso saiba: VOCES NAO ESTÃO SOZINHOS! Estamos todos juntos nessa.

 

IMG_0789
Bezo!

 

 

5 comentários em “Precisamos conversar… Deixe um comentário

Deixe uma resposta

pt_BRPortuguês do Brasil
en_USEnglish fr_CAFrançais du Canada es_ESEspañol pt_BRPortuguês do Brasil
%d blogueiros gostam disto: