Ir para conteúdo

O café ideal?

Quando comecei minha Aventura pelo mundo café, queria apenas tomar expressos, de preferencia um espresso duplo,  porque aprecio bebidas um pouco mais “ácidas” e “fortes”. Por isso, nada melhor que um bom e velho espresso curto. Já para os dias que IMG_0152queria algo mais aconchegante e acolhedor, escolhia um cappuccino. Enfim, era nisso que se resumia o meu “cardápio cafeeiro.” Como a maioria das pessoas que “acham” que sabem tomar café, eu acreditava que todos os outros métodos eram “fracos” e “sem graça”. Doce ilusão…

“Grazadeus”, essa excursão cafeinada me apresentou pessoas incríveis. Pessoas que me ajudaram a mergulhar de vez nesse mundo cafeeiro. Afinal, como poderia me chamar apreciadora de café se não queria aprender sobre os outros métodos? Como poderia me chamar apreciadora de algo sem saber “todos” os aspectos desse fantástico mundo que é o mundo do café? Obrigada a minha professora e aos meus novos, ou antigos, queridos amigos!

IMG_0317Para sair do meu mundinho do espresso decidi começar com um curso de Barista. Fui apresentada a outros métodos como a Hario V60, Cold Brew e outros tipos de latte (“café com leite vaporizado” de um jeito BEM simplicado). Saí tão encantada do curso que toda vez que visitava cafeterias pedia um método que ainda não conhecia. A idéia era experimentar e, assim, descobrir o mundo dos coados, drinks, até o dos grãos. Meu coração estava completamente abraçado por esse universo tão fantástico.

Não satisfeita, decidi fazer um workshop. Dessa vez, sobre métodos de coado. Foi aí que comecei a entender um pouco sobre notas de café, algo que eu nunca havia percebido quando ficava no meu espressinho. Continuo não sabendo muito sobre sensorial. Quem sabe um dia invento um curso? Para mim, a principal lição de toda essa aventura foi perceber que existem métodos para cada momento do meu dia ou do meu estado de espírito. Claro que não deixei meu método favorito de lado, apenas acrescentei mais opções ao meu “cardápio cafeeiro”.

IMG_0627Em dias chuvosos e frios, prefiro lattes ou um coado quentinho, às vezes harmonizado às vezes não. Aqui em casa, uso o bom e velho Melitta. Ainda não comprei os utensílios para os meus outros métodos favoritos como a prensa francesa e o moka. Até lá, visitarei a cafeteria ao lado da minha casa sempre que quiser apreciar esses métodos.

Já em dias quentes, nada melhor que um Cold Brew ou um coado geladinho. Minha querida professora Sulayne Shiratori me ensinou maneiras bem legais de inovar na hora de fazer um coado. Ao final do dia ou mesmo à noite, se ainda estiver um pouco quente, um bom drink cafeinado cai muito bem.

E para os grãos? Acredito ser a mesma lógica para os métodos. Não sou especialista, e entendo muito pouco. Porém, meus queridos amigos das torrefações de Brasília (Moulaz e Together), me ensinaram que existem grãos que são melhores para determinados métodos. Mas no final, tudo vai de acordo com o seu paladar e preferencias. O importante é você apreciar o café de maneira que ele lhe abrace e lhe faça feliz.  Com tantos métodos para tomar café impossível não ser feliz!

E você? Tem um método favorito?

 

Image-2
Bezo

 

Deixe uma resposta

pt_BRPortuguês do Brasil
en_USEnglish fr_CAFrançais du Canada es_ESEspañol pt_BRPortuguês do Brasil
%d blogueiros gostam disto: