Ir para conteúdo

Resoluções para 2019

2018 foi um ano cheio de surpresas, algumas boas e outras nem tanto. Foi o ano em que fortaleci minha conexão com a espiritualidade e com todas as entidades de luz que me guiam. Conheci pessoas maravilhosas e me reconectei com bons e velhos amigos. Foi o ano que me provou, mais uma vez, que as boas amizades podem durar para sempre não iIMG_9297.jpgmportando o quão longe estão ou por quanto tempo estivemos separados.

2018 foi um ano em que realizei muitas coisas. Entre as muitas realizações, aprendi a sentir-me bem e aceitar quem sou. Aprendi muito como profissional e, principalmente, como pessoa. Me mudei para um país diferente e aprendi outro idioma. Aprendi a ser mais paciente e que, na maioria das vezes, tudo que precisamos é ter um pouco mais de fé porque no final tudo vai dar certo, de um jeito ou de outro. E foram esses aprendizados, entre outras coisas, que me ajudaram a estabelecer minhas resoluções para 2019.

Nos dois últimos anos, aprendi a importância de colocar nossas metas e nossos objetivos no papel.É importante saber onde ser quer chegar. Para este ano, decidi que quero me dedicar mais as minhas paixões como o mundo do café e o jiu-jitsu. Decidi que quero viajar um pouco mais e explorar o que esse mundão tem a nos oferecer e ensinar. Quero visitar meus amigos que estão em países e continentes diferentes e, quem sabe assim, abrir um pouco mais a cabeça e sair um pouco do eixo América do Sul – América do IMG_1170Norte.

Também decidi que quero fazer a transição para produtos que não são testados em animais (cruelty free). Afinal, se amamos tanto os animais  por que continuamos usando produtos que são testados nos bichinhos que tanto amamos? Sei que será difícil, mas quem disse que mudanças são fáceis? O importante é o primeiro passo.

E falando em consciência, meu desafio do ano será o jejum intermitente. Ano passado, me desafiei a reduzir o consumo de carne. Queria quebrar o mito de que para ser uma atleta de alta performance precisava consumir muita carne. Ao final do desafio, percebi que minha performance não havia caído e que continuava bem forte; que a qualidade do meu sono melhorou e que a minha pele estava mais bonita. Aprendi mais sobre os alimentos que consumia e expandi meu leque de opções alimentares. E agora, com o jejum intermitente, quero começar  a aprimorar essa minha consciência. Quero começar a observar  mais o que estou comendo, como e quando como e, acima de tudo, por que estou comendo aquilo.

hug-a-bear-day1edited.jpg
Por fim, 2018 também me ensinou que, às vezes, não fazer nada é tão importante quanto correr atrás daquilo que queremos. É importante deixar as coisas acontecerem ou simplesmente deixar o seu corpo e a sua mente respirarem e descansarem da correria do cotidiano.  Quando deixamos que a vida nos leve, ela nos surpreende e nos mostra caminhos que nunca pensamos em trilhar. É bom dar uma pausa de vez em quando…

E assim, como em todos os anos, eu não serei capaz de realizar tudo isso sem o apoio da minha família e dos meus amigos. Eles são as pessoas que seguram a minha mão em todos os momentos de frustração e tristeza. É com eles que compartilho todas as minhas conquistas e alegrias. Foram eles que me disseram para não desistir, para ter mais fé e paciência.  E, é com o coração cheio de esperança que mal posso esperar pelo o que 2019 tem reservado para mim.

Desejo um 2019 cheio aventuras e de conquistas com todos vocês!

 

 

 

Deixe uma resposta

pt_BRPortuguês do Brasil
en_USEnglish fr_CAFrançais du Canada es_ESEspañol pt_BRPortuguês do Brasil
%d blogueiros gostam disto: