Ir para conteúdo

Quase 30

Quando era adolescente, até os meus 20 e poucos anos, ficava imaginando junto com os meus amigos como seriam nossas vidas quanto tivéssemos 30 anos ou perto disso. Imaginávamos que estaríamos quase todos casados, com filhos e com a vida feita. Estaríamos todos morando em nossas casas próprias e com a vida financeira estabilizada. Tínhamos muitos sonhos e conceitos, que hoje, não fazem mais o menor sentido.

Chegando aos meus 29 anos, ou quase 30, vejo que quase nada daquilo que imaginei aconteceu. Pelo menos, em parte….  Sempre quis jogar no exterior, não foi profissionalmente, mas ganhei uma bolsa de estudos que me permitiu realizar esse sonho. Não joguei um mundial de volei mas trabalhei em um.  Realizei muitas coisas que podem não ter acontecido do jeito que eu queria mas que aconteceram do jeito que era para ser.

Quando era mais nova, muitos dos meus amigos diziam que eu seria a primeira a casar e a ter filhos. Hoje, muitos dos meus amigos já casaram e têm filhos. Sou uma tia muito babona, inclusive. E eu? Sigo solteira, sem pretendentes e sem filhos e, acima de tudo, muito feliz com o caminho que escolhi!

No caminho para os  30, me reencontrei e aprendi a me amar. Não há nada melhor  do que o amor próprio. Me aceitei do jeitinho que eu sou… Pistache.. Sereia.. Diferentona do cabelo colorido. Sigo o vento e deixo o mar me levar. Vou descobrindo novos lugares e vivendo novas aventuras, sozinha ou acompanhada. Nesses quase 30,  tive a certeza de que  muitas vezes é melhor estar só do que mal acompanhada. Aprendi que sem um namorado sou solteira, mas sem amigos e sem família, sou sozinha. E a vida é muito melhor com pessoas que você ama por perto.

Confesso que até os meus 20 e poucos, eu tinha medo de trintar. Hoje, idade é só um número. Percebi que aquele papo de que com 30 anos devemos ser isso ou aquilo é o maior papo furado. Afinal, “ter 30 anos” de hoje é completamente diferentes da época dos nossos avós, nossos pais e, certamente, serão diferentes quando tiver meus filhos. Além disso, os meus “30” não serão que nem os 30 de fulano ou de  sicrano. Cada um tem o seu caminho.

Se eu puder dar algum conselho com o pouco que aprendi até aqui é “aproveite cada década, cada ano e cada dia da sua vida”. Se você que está indo para os 20 ou já está nos 20, aproveite muito! Aproveite para errar, explorar e aprender sobre aquilo que você gosta e não gosta. Os 20 foram feitos para isso! Saiba que você vai errar, e muito. Mas também vai acertar. Você vai se perder, se achar e se perder de novo até encontrar o seu caminho.

Você vai levar algumas chineladas de raider roxa para aprender algumas boas lições de vida. Reza a lenda que o chinelo raider roxa dói mais. E essas chineladas não param, elas só vem em tamanhos e épocas diferentes da vida. Há certas coisas que só aprendemos na marra. Como, por exemplo, entender que nem tudo sai como planejamos e que, muita vezes, as coisas saem do nosso controle. Por isso, é preciso aprender a controlar aquilo que podemos controlar como as nossas ações e nossos pensamentos. E se em algum momento a raider roxa te derrubar, está tudo bem. É só levantar e recomeçar. E se tiver que recomeçar, não tem problema, sempre há tempo para recomeçar!

Por fim, não fique olhando para o lado nem se comparando com os outros. É difícil, eu sei. Ainda estou aprendendo a seguir o meu caminho sem olhar para os lados e me comparar. Ainda me pego olhando para um perfil de um colega de faculdade ou uma celebridade qualquer que é mais nova ou que tem a mesma idade que eu.  É normal, sou humana e tenho minhas fraquezas e meus defeitos. Um dia eu chego lá, seja onde e como for. Assim, como o sonho de jogar no exterior, os meus sonhos da Nika adulta vão acontecer do jeito que eles têm que acontecer. Às vezes, não da maneira como eu gostaria mas do jeito que tem que acontecer.

Categorias

Meu Mundo

Um comentário em “Quase 30 Deixe um comentário

Deixe uma resposta

pt_BRPortuguês do Brasil
en_USEnglish fr_CAFrançais du Canada es_ESEspañol pt_BRPortuguês do Brasil
%d blogueiros gostam disto: