Ir para conteúdo

Lições da Terapia – Lição 02

Oi meu povo!

Na lição da terapia de hoje, estava conversando com a minha psicóloga sobre a correria que estava vivendo e que isso não estava me deixando nem um pouco feliz. Eu tinha a sensação de estar revivendo um tempo de EUA e Canadá que não foram tão incríveis assim.  Não me leve a mal. Eu amei todo o tempo que morei fora. Porém, nem tudo são flores.

Nos EUA, por exemplo, eu passei os últimos três anos me dividindo entre mestrado e 2-3 empregos para poder me sustentar. No último ano,  eu tinha um estágio em período integral, e nos finais de semana trabalhava 12h em uma cidade que era 2h30 da minha casa. Já no Canadá, não foi muito diferente. Ao invés de viver dentro de um carro, eu vivia dentro de ônibus. E depois de vários incêndios e algumas chineladas, eu parei para me perguntar:

O que estou fazendo com o meu tempo?

O tempo não volta.

Durante muito tempo, eu sempre fui focada nos meus objetivos e naquilo que eu queria alcançar. E isso não é algo necessariamente bom. Eu acabava deixando de lado muitas outras coisas que também eram importantes para minha vida. Não queria que nada nem ninguém atrapalhassem o plano que eu havia traçado.

Com a situação que estamos vivendo e com todas as reviravoltas que a vida me deu, eu comecei a questionar certas escolhas que fiz. Ao ponto de me fazer a seguinte pergunta:  

“Até que ponto os corres e sacrifícios que eu estou fazendo realmente valem a pena?”

Acredito fielmente que nós devemos correr atrás dos nossos sonhos e objetivos. Mas, qual é o preço que devemos pagar? Quantas pessoas você conhece que deixaram de ir em um evento importante de família ou de amigos porque tinha que fazer algo para o trabalho? Ou que deixaram de viver um grande amor porque não podiam “perder o foco”?

Eu li uma frase em algum lugar que dizia assim:

“Ter tempo livre mas não ter dinheiro é inútil. Ter dinheiro mas não ter tempo livre também é inútil.”

Eu acredito sim que nós devemos correr atrás dos nossos sonhos. Porém, sem sacrificar os bons momentos com aqueles que amamos. Muito menos sem sacrificar os nossos momentos de pausa e amor-próprio. Nós precisamos de dinheiro? Sim! É importante? Também! Porém, ele não é tudo na vida. O dinheiro é apenas uma ferramenta para fazermos aquilo de que gostamos. Por isso, do que adianta ter dinheiro mas não ter tempo para usufruir dele?

Eu acreditava que no fim, essa correria valeria a pena. Mas no final das contas, tive um burnout e fiquei sem motivação. Não façam como eu.

Work smarter and harder (Trabalhe duro e de forma inteligente )

Nós temos essa ideia de que nós precisamos trabalhar duro e sofrer. Mas e a vida pudesse ser um pouco mais leve? E se encontrássemos maneiras mais eficientes de alcançar os nossos objetivos? A vida não precisa ser sofrida e dolorosa. O caminho pode ser longo e cheio de desafios, mas não precisa ser um martírio.

Escolhas

Uma amiga que é enfermeira no Québec me contou que ela havia recebido uma proposta maravilhosa e com um salário excelente. Porém, ao invés de trabalhar em período integral, ela escolheu trabalhar meio período. Ela sabia que se escolhesse trabalhar período integral, ela teria mais dinheiro. Em contra partida, não teria tempo nenhum para aproveitar a vida dela, os cachorros, nem a familia e os amigos. E, não era isso que ela queria.  Ela queria poder trabalhar com aquilo que amava mas sem sacrificar a sua qualidade de vida e o seu bem estar.

Muitas vezes na vida teremos que fazer escolhas. Cada escolha tem uma consequência. Sendo assim, deixo aqui mais uma reflexão:

“O que nós estamos  fazendo com o nosso tempo? O que nós estamos valorizando? Estamos fazendo aquilo que amamos ou estamos fazendo algo só por dinheiro?

Estamos vivendo uma vida feliz ou estamos vivendo a vida que alguém acha que nós deveríamos ter? Estamos com muito dinheiro e sem tempo livre? Ou com muito tempo livre e sem dinheiro?”

Hoje em dia, não recebo rios de dinheiro mas eu sou feliz e grata pela vida que tenho. Consigo levar uma vida saudável e ter a flexibilidade que sempre busquei. Tenho a oportunidade de trabalhar em algo que amo e de estar perto das que eu amo. Quer coisa melhor?

É claro nem sempre é fácil, muito menos perfeito. Eu admiro meus amigos e familiares que se desdobram em mil para tocarem a carreira, darem atenção aos filhos e aos parceiros, e ainda praticarem uma atividade física e terem uma vida social.

 Em breve estaremos dando início a um novo ciclo, e à uma nova era, a Era de Aquário. Por isso, termino esse texto com mais uma reflexão:

Que tal reavaliar as suas prioridades? Que tal reavaliar a maneira que você utiliza o seu tempo? Você é feliz com a vida que leva?

Deixe uma resposta

pt_BRPortuguês do Brasil
%d blogueiros gostam disto: