Skip to content

Devagar e sempre – Lição 05

Oi meu povo,

Já faz um tempo que eu venho querendo compartilhar um pouco mais das lições da terapia. Entretanto, existem lições que levam tempo para serem absorvidas e processadas. O meu aprendizado da minha última lição foi entender que mudanças levam tempo. Não importa se elas são rápidas ou lentas, o importante é seguir em frente. Devagar e sempre.

Uzias e Isaías

Talvez você não conheça essa história… Porém, tem uma passagem da Bíblia que conta a história do rei Uzias e do profeta Isaías. Eu ouvi essa passagem pela primeira vez em um vídeo do pastor Cláudio Duarte lá em 2019.

“No ano em que Uzias morreu, Isaías recebeu um chamado para profetizar ao povo de Israel. Ele teve uma visão da glória de Deus, na companhia de serafins. Isaías sentiu-se impuro mas um serafim levou uma brasa do altar junto de Deus e tocou a brasa nos lábios de Isaías, que recebeu perdão por seus pecados. Deus perguntou: “quem enviarei?” e Isaías se ofereceu para falar ao povo.”

(Isaías 6:6-8)

Quando eu assisti a esse vídeo, estava passando por um período bem turbulento na minha vida. Mas, as palavras do Pastor Cláudio me ajudaram a enxergar a importância de mudar certas coisas em mim e na minha vida para que eu pudesse ser a pessoa que eu sempre quis ser e ter a vida que Deus quer para mim. Sendo assim, comecei a buscar dentro e fora de mim quem eram os meus “Uzias”. Em outras palavras, comecei a buscar em mim e na minha vida tudo aquilo que me impedia se ter a vida que eu sempre sonhei.

Mas Nika? Você não é espirita? Sou! Eu sou batizada na Igreja Católica. Trabalho em um centro espirita que trabalha com entidades da umbanda, e amo escutar um culto evangélico. Além disso, amo aprender mais sobre o budismo, astrologia, etc. Eu acredito que Deus e a espiritualidade se comunicam e se manifestam de diversas formas e em diversos idiomas. Mas isso é papo para outro dia…
Quem é o seu Uzias? Ou o que é o seu Uzias?

Arthur da Távola já que é “dificílimo, exige ingente trabalho, coragem e atenção para descobrir quem é ou o que é aquilo que nos impede de seguir em frente. “ No meu caso, eu era a minha maior inimiga. Eu não conseguia aceitar ou, enxergar,  as coisas que eu precisava mudar em mim e na minha vida.

Mas Nika? É tanta coisa assim?

Sim e não. Além de aprender a lidar com a ansiedade, eu não era muito boa em receber críticas. Eu ficava emburrada e chateada. Além disso, a paciência nunca foi o meu forte. Continua não sendo. Porém, estou bem melhor. Afinal, tudo tem seu tempo, não é mesmo? Por fim, eu ainda tenho dificuldade de lidar com as coisas quando elas saem do meu controle. Acredito que seja o meu mapa em capricórnio que me faz ser assim. Uma hora vai..

Encerrando ciclos

Depois de olhar para dentro de mim, foi preciso olhar para fora. Sendo assim, precisei encerrar alguns ciclos com lugares e pessoas. Nem sempre é fácil se afastar de pessoas que nós temos um carinho muito grande mas que não nos fazem bem ou que não estão caminhando na mesma direção. Não é fácil deixar um lugar que não está nos fazendo bem. Muito menos pedir demissão de um emprego que só nos deixa infeliz mas que paga as nossas contas no final no mês.

Cada um de nós possui o próprio caminho. Todos nós caminhamos lado a lado mas nunca no mesmo caminho. Às vezes, nossos caminhos avançam direções opostas e nunca mais se encontram. Outras vezes, os caminhos se reencontram mas em momentos diferentes. Nem todo mundo vai passar para a próxima fase da vida. E está tudo bem. Deixe ir…

O processo é lento.

Voltando ao vídeo, o pastor fala que uma das maneiras de matar o nosso Uzias não é através de uma morte rápida. Na verdade, essa morre é lenta. Pois, ele, Uzias, morre inanição e sede. E, todo o processo de mudança duradouro e sustentável é lento e progressivo.

Porém, no meu mundo perfeito, eu acreditava que esse processo seria “rápido”, coisa de um ano. Afinal, eu assisti ao vídeo em 2019, certo? Coitada, eu não sabia de nada mesmo. Estamos em 2021 e só agora eu percebi que esse processo de mudança é longo e gradativo. Talvez ele dure dois anos ou mais. Vai saber… Devagar e sempre, não é mesmo?

Altos e baixos

Além de ser um processo, essa jornada envolve recaídas. Minha psicóloga sempre me diz que é normal ter recaídas e tropeçar ao longo dessa jornada que é mudar. Alguns dias estamos mais fortes e mais dispostos. Em outros, vamos na fé, na coragem e quase nos arrastando, não é? Eu não sei vocês, mas eu sou desse jeito.

Todos nós temos algum ou alguns “Uzias”  que nós precisamos encarar todos os dias. Mas lembre-se, esses Uzias não definem quem você é. Eles se relacionam com você que talvez ate os alimente vez ou outra. Mas não viva a custa deles. Afinal, eles não são você. Eles só estão com você.

Reconhecer que eu sou a minha maior inimiga, não foi fácil. Olhar para dentro de mim e reconhecer a necessidade de mudar, também não. Entretanto, sinto muito orgulho de mim mesma quando vejo o quanto que eu já percorri e melhorei. Sei que ainda tenho um longo caminho pela frente. Porém, me sinto muito feliz por estar onde estou.

Mudanças são processos que levam tempo. Sejam mudanças de hábito, crenças, etc. Não importa o tipo… Elas levam tempo para acontecer. Podem ser rápidas ou lentas. Se você está em um processo de mudança, continue seguindo em frente. Se você cair, levante. Se sair um pouco da dieta, tudo bem. Volte. Respeite o seu tempo e os seus sentimentos. Devagar e sempre, tudo vai dar certo no final.

Deixe uma resposta

en_USEnglish
%d blogueiros gostam disto: